28 de mai de 2014

SHTF School - 1. Introdução

Este é o primeiro dos posts do Blog SHTF School, o qual passarei traduzir ocasionalmente.
Eu não possuo nenhuma relação com o site ou seu criador nem clamo quaisquer direitos sobre o conteúdo dos textos ou mesmo sobre a tradução, mas seria interessante para a divulgação do blog se citado o nome SHTF Brasil em caso de cópia da tradução.

Segue o texto:

OK, eu quero compartilhar com vocês a minha própria experiência.

Eu sou da região dos Balcãs e, como alguns de vocês devem saber, foi um inferno aqui entre 92-95. De qualquer maneira, por um ano inteiro eu vivi e sobrevivi em uma cidade sem electricidade, combustível, água corrente, distribuição de alimentos ou de quaisquer bens, e sem qualquer tipo de lei ou governo organizado. A cidade foi cercada por 1 ano e, nessa cidade, a situação era realmente SHTF.

Nós não tínhamos exército organizado ou força policial, haviam grupos de defensores. Na verdade qualquer um que tinha uma arma lutava pela a sua própria casa e por sua própria família.

Alguns de nós estavam mais bem preparados, mas a maioria das famílias só tinha comida para alguns dias. Alguns de nós tínhamos pistolas, uns poucos tinham AK-47 quando tudo começou.

De qualquer forma, depois de um mês ou dois, as gangues começaram com seu trabalho sujo. O hospital parecia um açougue, a força policial desapareceu, 80 por cento dos funcionários do hospital voltaram para casa. Eu tive sorte, minha família era grande naquela época (15 membros em uma casa grande, 5-6 pistolas, três Kalashnikovs [AK-47]) então a maioria de nós sobreviveu.

Lembro-me da força Aérea dos EUA jogando rações a cada 10 dias (deus abençoe a américa por isso) como ajuda para a cidade cercada, mas não era o suficiente. Algumas das casas tinham pequenos jardins com alguns legumes, a maioria não tinha nada.

Depois de três meses rumores começaram sobre as primeiras mortes por fome e por hipotermia. Nós tiramos cada porta ou moldura de janela de casas abandonadas para nos aquecer, eu queimei todos os meus móveis. Muitas pessoas morreram de doenças, principalmente por causa de água contaminada (dois dos membros da minha família). Usávamos a água da chuva para beber, várias vezes eu comi pombos, uma vez eu comi um rato. Dinheiro não valia nada.

Nós trocávamos coisas, o mercado negro funcionava, alguns exemplos: por uma carne enlatada pode você poderia ter uma mulher por algumas horas (soa mal, mas era a realidade). Eu me lembro, a maioria das mulheres eram mães desesperadas. Velas, isqueiros, antibióticos, combustível, baterias, munição, rifle e alimentos, claro, lutávamos como animais por isso.

Em uma situação como essa muitas coisas mudam, a maioria das pessoas viravam monstros, era feio. A força estava nos números, se você estivesse sozinho em casa, você provavelmente seria roubado e morto, não importa o quão bem armado.

Enfim, a guerra terminou, mais uma vez, graças a América (e, novamente, deus abençoe os EUA por isso).

Não importa qual lado estava certo na guerra.

Foi há quase 20 anos, mas acreditem, para mim é como se fosse ontem, eu me lembro de tudo e  acho que aprendi muito. Eu e minha família estamos preparados agora, eu estou bem armado, abastecido e educado.

Não é importante o que vai acontecer, terremotos, guerras, tsunamis, aliens, terroristas, o importante é que algo vai ser.
E, pela minha experiência, você não sobrevive sozinho, a força está nos números, se você é próximo de sua família, se prepare com eles, escolha seus amigos sabiamente e se prepare com eles também.


Traduzido por SHTF Brasil. Original em inglês em SHTF School.

Nenhum comentário:

Postar um comentário